Seu Navegador não tem suporte a esse JavaScript!
 

História da Câmara

 Relato histórico da vida da Câmara Municipal de Capela do Alto – Estado de São Paulo, desde a fundação do município ocorrido em data de 26 de Março de 1.965.

 

Fato curioso ficou registrado no município de Capela do Alto – Estado de São Paulo, quando nos ídos dos anos de 1.964, por falta de estrutura e prédio público necessário, foi implantada para funcionamento na igrejinha do município na ocasião distrito de Araçoiaba da Serra, a primeira Prefeitura do município de Capela do Alto, instalada após a emancipação, sendo que após longos anos, o prédio deu lugar para funcionamento da Secretaria e do Plenário do Legislativo Capelense;

 

Sabe-se ainda, que nossa Câmara Municipal, funcionou por longa data na Capela situada à Praça Nossa Senhora das Dores hoje denominada Praça Professor Francisco Pássaro – Centro do município, que abriga atualmente com muito júbilo, o Santuário da Mãe Peregrina que manifestada por um sonho a uma jovem Senhora devota de Nossa Senhora, veio aqui se estabelecer para continuar abençoando esta cidade e nunca mais abandonar o seu povo orante e devoto de suas virtudes e bênçãos.

 

A primeira igrejinha, que conforme consta na história verídica dos acontecimentos passados, foi construída de pau a pique entre os anos de 1.830 à 1.850, pelos Tropeiros que vinham do Sul e aqui faziam suas paragens, rumo à São Paulo, com o auxílio dos moradores da vila e dos padres jesuítas tendo à frente, o Monge João Maria de Augustini, serviu por muitos anos para realização de cultos religiosos tais como: Missas, terços e outros eventos da igreja católica e posteriormente reformulada, foi destinada por falta de outro espaço público, a servir no passado para grandes encontros da classe política de Capela do Alto.

 

Vale ainda lembrar, que o primeiro prefeito do município, foi o Senhor Heleno Lopes Plens já falecido, que governou o município no período de 1.965 à 1.969 tendo como Vice, o cidadão Senhor Euzébio Moreira que se encontra gozando de perfeita saúde até a presente data.

 

No período da emancipação ocorrida no ano de 1.965, a primeira Câmara Municipal, teve eleito o seu primeiro Vereador Presidente, que foi o Senhor José Guilherme, que presidiu a Câmara no período de 1965 à 1966;

 

Consta ainda nos anais da Câmara, que antes da emancipação do município que era Distrito da cidade mãe Araçoiaba da Serra, foram eleitos para auxiliar a administração daquela cidade mãe, os Senhores: José Delfino de Campos, Joaquim de Souza Quevedo, João Lopes, Otaviano de Miranda, Heleno Lopes Plens, Antonio Guilherme entre outros...

 

A história deste povo trabalhador e da trajetória política de Capela do Alto, não para por ai...Sabe-se que desde sua emancipação política e administrativa, o município que tem sua economia estritamente voltada para a agricultura, tem se desenvolvido a passos largos graças aos governos municipais que foram eleitos no período e as administrações que por aqui passaram,  contribuindo de uma forma ou de outra em harmonia com o Legislativo para seu pleno desenvolvimento, desde sua fundação até os dias de hoje, fato esse que volta a se repetir neste exercício de 2012, quando em Outubro, se realizará mais uma eleição majoritária, onde o povo terá a oportunidade de constituir um Prefeito e mais onze Vereadores, que terão a oportunidade e a obrigação de dar continuidade nesse grande trabalho e pleno desenvolvimento, cuidando para que o nosso município seja sempre revestido e coroado de pleno êxito assim como se manteve até os dias de hoje.

                                              

Por outro lado, falar da trajetória de um povo honrado e trabalhador, é sempre um desafio; mas tendo-se o pleno conhecimento da labuta e da contribuição principalmente das famílias tidas como fundadoras desta localidade, vale ressaltar e parabenizar o povo capelense, pelo esforço de cada um que contribuiu para o desenvolvimento da cidade em tão curto espaço de tempo.

 

Parabéns Capela do Alto, você é digna de ser lembrada sempre pelo otimismo e pela trajetória de vida pública e também humana, deixada e abençoada por seus descobridores no passado, viabilizando a sua preparação para as futuras gerações.